Email:

pelvic.care.ft@gmail.com

Lisboa, Portugal

Soraia Coelho

Tlm: 966106708

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • LinkedIn - Black Circle

© 2017 por Soraia Coelho. Todos os direitos reservados.

Fotografias pessoais por Bless

Pelvic Care Blog

A corrida e o pavimento pélvico - Parceria com o Blog It's up to you

June 9, 2017

 

Fui convidada pela Raquel Fortes para escrevermos um artigo em parceria de forma ajudar-mos a quebrar tantos mitos sobre a corrida e as disfunções pélvicas.

 

A corrida e os problemas do pavimento pélvico são uma preocupação constante, especialmente para corredoras dedicadas que precisam da corrida diária. Neste artigo iremos falar um pouco sobre o que é o pavimento pélvico, possíveis alterações relacionadas com o desporto de alto impacto e como minimizar os seus sintomas e evitar o agravamento do mesmo, se este existir. Mas então o que é isto do pavimento pélvico?

 

O pavimento pélvico é uma espécie de “cama elástica” formada por cerca de 13 músculos, conhecidos como musculatura do pavimento pélvico que, auxiliados por fáscias e ligamentos, funcionam como elásticos biológicos,

 

A função de todo este conjunto é sustentar os órgãos pélvicos (útero, ovários, bexiga,…) e os elementos mais fortes e decisivos para este fim são os músculos.

Ao ser contraída a musculatura suspende os órgãos pélvicos, mantendo-os nas suas posições normais, evitando que os ligamentos sejam sobrecarregados e/ou lesionados.

O fato dos músculos que compõem o pavimento pélvico serem acionados por um único nervo, chamado de “pudendo”, significa na prática que não é possível contrair um deles isoladamente sem contrair tudo o resto ao mesmo tempo, e ao redor dos três canais simultaneamente.

 

Na população desportista existe um desequilíbrio das forças entre o abdómen e o pavimento pélvico. Por vezes os sintomas podem começar por ter perdas urinárias no final de uma corrida, ou quando realizam uma aula de fitness (body jump, body pump, step, zumba, crossfit) ou qualquer atividade que envolva saltar e carregar pesos, e grandes esforços abdominais (vulgos abdominais clássicos).

É uma situação que, embora frequente, nunca pode ser considerada normal. Quanto mais cedo procurar reeducar o sistema intrínseco de estabilidade, melhores e mais rápidos serão os resultados.

 

 

Correr pode causar e / ou piorar disfunções do pavimento pélvico?

 

Infelizmente, a resposta é sim, aqui está o porquê:

Correr é um exercício de alto impacto. Quando o calcanhar atinge o solo durante a corrida, a força física associada ao pouso passa para baixo através do pavimento pélvico e, de seguida, para o chão através dos membros inferiores. Este impacto pode ter o efeito de alongar os músculos do pavimento pélvico e suporte do tecido conjuntivo, particularmente se eles não apresentam força para suportar o impacto associado. Quando repetido ao longo do tempo, o pavimento pélvico pode tornar-se progressivamente alongado e enfraquecido.

Felizmente, poderá seguir uma série de passos que pode tomar de forma a melhorar o suporte do pavimento pélvico quando correr.

 

Estratégias

 

(Querem ler mais? Sigam aqui)

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Destaques

Devo preparar o meu pavimento pélvico para o parto?

June 17, 2019

1/1
Please reload

Arquivo
Please reload

Categorias
Please reload